Sábado, 08 de Maio de 2021 10:22
83 986952059
Cultura CULTURA

Para brincar em casa, produção do Muhne em parceria com a Massangana Audiovisual convida a imersão pelas ladeiras de Olinda em 360º

Com o uso de óculos VR (virtual reality), o expectador se tornará um verdadeiro folião em meio a um dos melhores carnavais do mundo.

10/02/2021 13h27
161
Por: Edimilson Camilo Fonte: ASCOM
Ladeira de Onlinda PE
Ladeira de Onlinda PE
Dá para participar do Carnaval em 360º sem sair de casa. Isso tudo graças à Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), que lança a série em realidade virtual Carnaval de Olinda, nesta quinta-feira (11). O material estará disponível para o público no canal da Fundaj, no YouTube, e integra a programação do Carnaval de Todos os Tons.  A produção é do Museu do Homem do Nordeste (Muhne) em parceria com a Massangana Audiovisual. Gravados em 2020, os vídeos registram a apoteose dos bonecos gigantes, uma ciranda com banda de pífano, o cortejo do Boi da Mata e o Cariri Olindense, que neste ano celebra seu centenário.
 
Com o uso de óculos VR (virtual reality), o expectador se tornará um verdadeiro folião em meio a um dos melhores carnavais do mundo. Mas as produções também podem ser conferidas em aparelhos celulares e no computador. “Esperamos levar um pouco do Carnaval para dentro de casa, em uma imersão, onde é possível acompanhar troças nas ladeiras de Olinda, onde a pessoa pode observar todo ambiente ao redor como se de fato estivesse lá”, explica o assistente em Ciência e Tecnologia da Fundaj e idealizador do Muhne 360º, Victor Carvalho.
 
Coordenador da Massangana Audiovisual, Pedro Coelho descreve a produção como um documentário antropológico. “Queríamos registrar a diversidade de manifestações culturais do Carnaval de Olinda e era necessário se misturar a multidão, sem interferir. Mas, as pessoas estão tão imersas na festa que as cenas ficam muito naturais. O maior desafio era ficar parado, enfrentando a multidão com o peito”, conta. “Quando comecei a assistir fiquei muito emocionado ao ver todo mundo se tocando, se abraçando. Hoje essa produção tem uma nova camada de significado”, destaca Coelho.
 
A preocupação estética com o material é outro detalhe. “Fizemos um levantamento do que seria representativo e esteticamente interessante. Foi filmado no meio do pessoal para se ter a vivência, com as mazelas e benesses do Carnaval. Não tem filtro, não tem nada ensaiado”, acrescenta Victor. “O encontro de boizinhos, por exemplo, é fantástico para a fotografia em 360, pois tem uma infinidade de personagens circulando por todos os lados, você entra em um mundo mágico" confirma Pedro, que lembra a gravação do Cariri Olindense às 6 da manhã.
 
Museu portátil

Idealizado em 2018, o Muhne 360º utiliza imagens em 360 graus e disponibiliza um óculos de realidade virtual para mostrar o Muhne, o Engenho Massangana e um pedaço do Nordeste. O projeto já foi apresentado em outras cidades da região e em exposição no estado do Pará. De acordo com Victor Oliveira, no futuro, a série Carnaval de Olinda deverá integrar a exposição de longa duração do Muhne. “A proposta é trazer elementos e experiências culturais e históricos para dentro do museu. Coisas que a gente não conseguiria trazer fisicamente, a gente traz virtualmente”

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias